NOVIDADES | BLOCOS TERMOACÚSTICOS DE ALTA RESISTÊNCIA

Casas com blocos de "Isopor" começarão a serem construídas em Itamaraju e região.



Segundo a empreendedora Dayana Almeida, a proposta também não produz resíduos, já que os blocos são colados. Casas deste  modelo diferenciado de blocos estão sendo construídas em vários lugares do Brasil.  Itamaraju terá unidade de distribução desse produto para construção civil na região que inclui as cidades de Jucuruçu, Prado, Alcobaça e Caravelas.
De acordo com a empresa, a proposta torna o ambiente termo-aúsatico, ou seja, mais arejado e com menos ruídos externos. O método também não produz resíduos e entulhos, já que os blocos são colados e não utilizam argamassa comum (areia- cimento - cal ou argila) como no caso da construção de uma casa com um tijolo/lajota comum.
O "isopor" usado no interior de cada bloco, na verdade trata-se de um produto totalmente diferente dos convencionais vendidos em papelarias, estes são anti chamas, não propaga fogo, é o  EPS próprio para a construção civil, bem semelhante aos que já usados frequentemente nas lages estruturais e de cobertura.


O bloco equivale a sete lajotas de cerâmica comum, o que traz praticidade e não causa sujeira. O isopor(EPS) também veda a umidade por não absorver água, a acústica é muito grande, bloqueando barulho e ruídos externos. São muito práticos porque os blocos são colados com cola polimérica, não necessita do uso de  betoneira nesta etapa da obra, evitando o disperdício de tempo e massa nas fases de levante e reboco das paredes ”, explica Dayana em entrevista ao G1.

A empreendedora garante que é possível levantar as paredes de uma casa feita com os blocos de concreto e isopor em quatro dias. Cada bloco Day House tem a medidade de 1 (um) metro de comprimento por 40 (quarenta) centímetros de altura e serão comercializados nas epessuras de 10 cm, 15 cm e 20 cm de acordo com cada projeto.

"É muito mais fácil construir com esse método, com apenas um servente e um pedreiro, é possível construir até 60m² (metros quadrados) de parede em apenas um dia de trabalho, é tudo muito rápido. Por exemplo, em uma casa feita em 40 dias, nós conseguimos entregar em apenas uma semana. A economia com a mão de obra é bem reduzida ao final da obra, nosso bloco é 81% mais rápido que as lajotas convencionais na fase de assentamento e não necessitam de reboco ”



Com relação ao custo de executar uma obra com esses blocos, Dayana afirma que é praticamente o mesmo valor da construção com as lajotas tradicionais.
 “ Para mim, a principal vantagem é a temperatura. Chegar em uma casa arejada em uma região quente como essa, é maravilhoso, mas temos que mencionar também a economia com eletricidade no pouco uso de ventiliadores e ar condicionados, tão necssários por aqui. É possível baixar em até 8Cº (graus) a temperatura interna da residência com relação ao ambiente externo".

 A ideia surgiu quando a empreendedora adoeceu e teve que ficar de repouso. Uma amiga estava na Europa e começou a mandar fotos das estruturas diferenciadas dos imóveis, “Lá as paredse são colocadas inteira por um caminhão muck. Eu achei a ideia interessante e decidi estudar e adaptar para implantar no Brasil”, lembra. “Hoje já temos casas construídas com  esses blocos em Minas Gerais, Rio de Janeiro, na África, Estados Unidos em São Paulo e em breve aqui na Bahia”, conclui.
Uma fábrica estará sendo montada nos próximos 60 dias para atender a região de Itamaraju e os demais pontos licenciados que já estão sendo negociados  com o GRUPO DAY HOUSE para os demais cidades baianas.
R7 - VEJA O VÍDEO COM A REPORTAGEM COMPLETA 
 



Confira o vídeo:




Galeria de Fotos:





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



NOVIDADES  |  04/03/2020 - 07h





NOVIDADES  |  14/02/2020 - 13h


NOVIDADES  |  28/01/2020 - 19h